segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Carta de Declaração de Nossas Pretensões

Ao longo da história, conforme idéias, é comum tentar se rotular, encaixar, e sempre se fechar em um grupo, um movimento, ou algo qualquer, um grupo, que, na maioria das vezes, sempre dificulta as coisas, que cria restrições, e que se isola, impedindo qualquer tipo de expansão. Todo o tempo, pessoas querem se agrupar, rotular, e se encaixar, por um objtivo, um objetivo que quer ser expressado. Devemos parar de ser um grupo ou movimento, um rótulo ou outra coisa qualquer, DEVEMOS SER PESSOAS, pessoas com UM DESEJO, um ÚNICO DESEJO, O DESEJO DE SE EXPRESSAR. O desejo de SE LIBERTAR por meio da EXPRESSÃO, seja do sistema, seja do consumismo, seja da futilidade, ou mesmo do seu patrão, etc.
Se, um dia, olharmos para o social antes que para o individual, estaríamos sendo injustos, opressores, fascistas: resumindo, tiraríamos a liberdade do indivíduo de pensar diferente dos outros, colocaríamos um ideal para todos seguirem. Por mais que este seja quase comum à todos, é uma forma de opressão: ninguém pensa da mesma forma que todos.
"quando as pessoas entram em um grupo, elas assumem a posição do grupo, e perdem a sua posição, deixam de ser elas mesmas, e viram um esteriótipo, como ser sem personalidade, e ter que aderir a uma, isso que eu quis dizer com "deixar de ser grupos, e virar pessoas"
Melz

E é esse o nosso propósito, não somos um grupo, somos pessoas. Este é o O Movimento.

Somos libertários com pretensões de nos organizar, debater, discutir, pensar, idealizar, e colocar em prática atitudes libertárias plausíveis ao mundo contemporâneo.
Somos uma Federação: Isto é, um núcleo formados por várias pessoas autogestionado, e nossa organização é não-hierárquica e baseada em leis naturais: Autogestão, apoio-mútuo, respeito, responsabilidade, cooperativismo, que consequentemente tendem às outras leis naturais (pois não se separam), Liberdade e Igualdade.

E é este o nosso objetivo: Chegarmos à uma sociedade autogestionada, baseada no cooperativismo e apoio-mútuo, organizada pelo respeito e a responsabilidade, que por sua vez é a única forma de ser totalmente libertária e igualitária, ou seja, chegarmos à Ordem Natural.
Portanto, toda e qualquer forma de repressão e desigualdade aplicada em um social, nós negamos, seja ela da maneira que for: Estado forte, ou falsa democracia.

Odiamos o sistema, e não somos rebeldes sem causa; não aceitamos a atual política corrupta, não queremos mais sermos governados por parasitas, não aceitamos as leis impostas a nós, e não é por isso que seríamos baderneiros; não queremos propriedades, e sim a posse; não queremos mais a idéia de nação, tampouco ao nacionalismo, que somente tende a guerras e revoltas; não queremos, e nem precisamos, de milícias, forças militares, tais como exército e polícia, que servem principalmente para oprimir; não queremos mais o abuso de tecnologia que degrada de uma forma absurda a natureza, o meio-ambiente; não queremos fazer por onde ajude o sistema através da falsa democracia, queremos a real liberdade e igualdade. "Que a democracia foi feita para os Deuses, não para o homem" Proudhon, Joseph-Pierre.

Não somos cúmplices do atual sistema e suas conseqüências, assaltos, fome, miséira, luxo, ganância, assassinatos, etc; não somos cúmplices do atual sistema político-econômico que somente nos corroi e auto-corrói; não somos cúmplices da hipocrisia humana na questão da busca da riqueza material à qualquer preço; não, não somos cúmplices, e lutamos contra isso.

Queremos divulgar nossas idéias para fazer com que acabem tais atitudes, queremos que você também não seja um cúmplice. A não ser que queira continuar a mentir à sí mesmo de que não vê a realidade, a nossa realidade.

Simplesmente negamos os conceitos da sociedade e queremos a Ordem Natural.
Não nos importa o que a mídia fala de nós, o que os outros pensam: divulgamos nossas idéias para justamente acabar com a alienação sobre as pessoas, a qual nos incita de baderneiros, de que nossas idéias são utópicas, que uma sociedade como queremos não passa de bagunça. Queremos divulgar, de todas as maneiras, arte, cultura, telecomunicação, internet, diálogo, cartas, zines, enfim, todas as formas possíveis, a real face dos nossos ideais.

Formamos núcleos em várias cidades do Brasil para a realização deste movimento, uniremos com outros projetos para nos fortificar cada vez mais. Não desistiremos.

A Ordem Natural pode estar muito distante de nós, entretanto há de plantar os frutos, ou mesmo começar a germiná-los.

"Não se trata de alcançar a anarquia hoje, amanhã, ou daqui há dois séculos: e sim caminharmos para a anarquia hoje, amanhã e sempre" Errico Malatesta.

Tal escrito de Malatesta é nos aplicavel, de certa forma, somos Anarquistas. Consideramos Anarquia como Ordem Natural.

Assim como foi dito, baseamos em idéias libertárias já existentes, e por outro lado desenvolvemos outras novas. Mas as já existentes são de extrema importância, tais como a Organização, de Errico Malatesta; a TAZ (Zona Autônoma Temporária), de Hakim Bey; a exclusão da idéia de propriedade e aplicação da de posse, segundo Proudhon; A audácia de Bakunin; A luta pela igualdade entre homens e mulheres e a negação à tropas de exército, como Emma Goldman; dentre outros.

Concluíndo, queremos fazer o máximo para acabar com a alienação do sistema e conseguirmos, hoje, amanhã, ou daqui há dez séculos, a liberdade, a igualdade, a Ordem Natural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário