quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

ATO DE RUA CONTRA O AUMENTO DA TARIFA! SP




Dia: 07/01, quinta-feira

Concentração no Teatro Municipal às 16h

Saída em manifestação às 17h


Reunião da Rede de Luta Contra o Aumento

Dia: 10/01, domingo – às 15h

Local: Ay Carmela! (Rua das Carmelitas, n° 140 – Sé)

...


Kassab aumentou a tarifa do ônibus para R$ 2,70!


A integração com o Metrô passou de R$ 3,65 para R$ 4,00. O prefeito ainda tem a cara de pau de pedir nossa compreensão, aproveitando-se das férias escolares e do recesso de fim de ano para evitar mobilizações contrárias a esse abuso!Todo ano os empresários do transporte pressionam a prefeitura para aumentar as passagens, para que possam continuar a lucrar. Cada um desses aumentos faz com que milhares de pessoas deixem de usar os ônibus por não terem dinheiro para pagar a tarifa. O aumento atual, de 17,4%, está acima da inflação do período. O acréscimo de R$ 0,40 em cada tarifa vai fazer com que gastemos R$ 118,00 com ônibus todo mês, ou 23% do salário mínimo – isso apenas para ir e voltar do trabalho. São Paulo terá a 2ª tarifa de ônibus mais cara do Brasil! E o Governo do Estado já anunciou que Metrô, CPTM e EMTU também serão reajustados em breve.

Se o transporte é um direito do cidadão, não pode ser pensado enquanto lucro das empresas, mas sim como uma necessidade básica da população. Se ir e vir é um direito, o ônibus não deveria sequer ter tarifa. Imagine se os hospitais e as escolas públicas tivessem catracas na porta?

O poder público investe na construção de pontes, túneis e na ampliação da Marginal, o que só beneficia os carros particulares. Um grande volume de dinheiro tem sido aplicado em transporte coletivo visando a Copa do Mundo de 2014, mas esses investimentos não necessariamente correspondem às necessidades reais da população. Exemplo disso é a construção da Linha 4-Amarela do Metrô, que passará por bairros ricos como o Morumbi enquanto a periferia continua sem esse tipo de transporte, e o Terminal Campo Limpo – que prejudicou a locomoção dos moradores da região. Até quando as políticas públicas de transporte serão definidas sem que a população seja consultada?

Prefeitura e empresários tentam nos convencer de que o aumento é inevitável porque sabem que nós podemos barrá-lo. Aconteceu em Florianópolis e em Vitória em 2005, quando a população dessas cidades barrou aumentos de tarifa indo para as ruas se manifestar. Em 2006, em São Paulo, milhares de pessoas saíram às ruas contra o aumento. É isto que as autoridades querem evitar, mas não vão! O conjunto da população de São Paulo pode e vai barrar este aumento!

(texto do panfleto)

Um comentário:

  1. Olá, Karina!

    Sou Humberto Carvalho Jr., do Imprensa Marginal. Achei muito bacana a idéia de O Movimento, um blog sobre manifestações.

    A blogsofera surgiu como uma grande possibilidade de amenizar os efeitos da concentração dos meios de comunicação no Brasil e no mundo.

    Em relação ao aumento da tarifa, aqui em Salvador o prefeito adotou a táticar de autorizar os aumentos durante as férias. Assim não há movimento estudantil. Quando há, é muito fraco.

    Sofremos, aqui na Bahia, com a apatia política, tanto por parte da mídia local, o que considero normal (não disse aceitável), como da população, legado do longo período da oligraquia ACM. Acho que vai demorar algum tempo para que a esquerda consiga reparar o dano. Ao menos em relação à população.

    A luta continua.

    Abraços!

    ResponderExcluir